26 de julho de 2012

FILME SOBRE O ALMIRANTE NEGRO INAUGUROU CENSURA NO CINEMA

 

 FILME SOBRE O ALMIRANTE NEGRO INAUGUROU CENSURA NO CINEMA

João Cândido: tema do primeiro filme brasileiro censurado

Em 1910, oficiais liderados por João Cândido sacudiram o país, reivindicando o fim dos castigos físicos na Marinha. Depois de longas e tensas negociações, a Revolta da Chibata foi reprimida; e os rebeldes presos. Porém, a imagem de João Cândido - o Almirante Negro, nos dizeres da imprensa - seguiu viva. Teve até quem planejasse transportar a história do marinheiro para as luzes do cinema.
o documentário A Vida de João Cândido, do diretor Alberto Botelho, começou a ser produzido em 1910 e foi finalizado em 1912. Mas nunca foi exibido. Em 22 de janeiro de 1912, o chefe da polícia do Rio, Belizário Fernandes da Silva Távora, proibiu a estreia. "Se não fizesse o que fez, talvez a esta hora o Rio em peso estivesse revolucionado", defendeu o Correio da Manhã. Tido hoje como desaparecido, o curta-metragem foi o primeiro filme brasileiro a cair nas garras da censura.
 
 
 
fonte:
http://www.karlabalieiro.com/2012/01/filme-sobre-o-almirante-negro-inaugurou.html
 
 
 
Temos um vasto acervo sobre a bibliografia temática afro-brasileira, religião dos orixás, candomblé, nagô, yorubá, jejê, angola, minas, bantu, capoeira, etc..., saiba mais, pergunte-nos. Caso haja interesse em alguns dos nossos livros, ou em outro que não se encontre cadastrados ainda, pergunte-nos: ---- philolibrorum@yahoo.com.br ---- que conversaremos sobre como conseguir. PHILOLIBRORUM-BIBLIOAFRO cultura griot.

19 de julho de 2012

William Bascom The Yoruba Southwestern Nigeria

William Bascom

The Yoruba Southwestern Nigeria

Waveland

1984

livro em bom estado de conservação, cuidadosamente ilustrado, escasso, não perca, saiba mais ....

Clássico livro de Bascom sobre essa que a sua paixão e devoção: os Iorubás da Nigéria.

O autor dedicou seu esforço intelectual para compreender e passar adiante a milenar cultura Iorubá, temos aqui um dos mais importantes estudiosos do assunto.

O Iorubá, com alguns outros grupos do sudoeste africano representam o alto nível de realização cultural na África sub-saariana, eles são um dos povos mais interessantes e importantes do continente.  

O autor oferece descrições detalhadas das estruturas elaboradas econômicos, políticos e sociais do iorubá, o seu conjunto complexo de crenças religiosas e suas formas de arte mundialmente famosas.

Origens e História, Economia, Governo, estrutura social, o Ciclo de Vida, O ciclo espiritual, as divindades, Estética, etc .. 

  
Bascom passou um ano na Nigéria, e revisitado na área de novo várias vezes ...


Autor de entre outros, os clássicos:


"The Relationship of Yoruba Folklore to Divining," Journal of American Folklore (1943) 
The Sociological Role of the Yoruba Cult-Group (1944)  
Ifa Divination: Communication Between Gods and Men in West Africa (1969,
African Art in Cultural Perspective: An Introduction (1973)
Sixteen Cowries: Yoruba Divination from Africa to the New World (1980)




Temos um vasto acervo sobre a bibliografia temática afro-brasileira, religião dos orixás, candomblé, nagô, yorubá, jejê, angola, minas, bantu, capoeira, etc..., saiba mais, pergunte-nos. Caso haja interesse em alguns dos nossos livros, ou em outro que não se encontre cadastrados ainda, pergunte-nos: ---- philolibrorum@yahoo.com.br ---- que conversaremos sobre como conseguir. PHILOLIBRORUM-BIBLIOAFRO cultura griot.

18 de julho de 2012

Estudos sobre o Negro - A da Silva Mello 1958


Estudos sobre o Negro 

A da Silva Mello

Ed. José Olympio

1958

Livro em bom estado de conservação, capa dura, com 231 páginas, escasso, não perca, saiba mais ...

Um amplo estudo sobre o homem negro, seu passado, suas caracteristicas seus costumes, seus ritos e crenças, sua cosmovisão, sua personalidade, questões de fundo são tratadas e abordadas neste precioso livro que deve ser sem dúvida consultado por todos aqueles que se propoem a estudar a questão em quaçquer dimensão que seja.

Histórias e situações que raras vezes são se quer faladas em nosso meio cientifico e cultural essa é a matéria prima com a qual Silva Mello trabalha nestes estudos.



Antônio da Silva Melo (Juiz de Fora, 10 de maio de 1886 — Rio de Janeiro, 19 de setembro de 1973) foi um médico, professor e ensaísta brasileiro. 

Estudou no Instituto Granbery e a seguir ingressou na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, cujas aulas freqüentou até o terceiro ano, quando se transferiu para Berlim, formando-se em 1914.

Especializou-se em Clínica Médica, publicando diversos trabalhos científicos em revistas alemãs.  Em 1916 tentou retornar ao Brasil, tendo seu navio sido torpedeado no Mar do Norte, conseguindo salvar-se e voltando para Berlim.

Devido estar o Brasil em vésperas de declarar guerra à Alemanha, foi para a Suíça, obtendo do governo daquele país permissão para trabalhar nos hospitais de Lausanne e Genebra, obtendo depois o posto de médico adjunto do sanatório Valmont. 

Em 1918, retorna ao Brasil, prestando exames e defendendo tese em Belo Horizonte, para revalidação do título. No Rio de Janeiro, presta concurso para professor catedrático de Clínica Médica na Faculdade Nacional de Medicina. Realizou diversos cursos gratuitos para médicos e estudantes na Policlínica de Botafogo e na Santa Casa de Misericórdia.  Em 1944, fundou a Revista Brasileira de Medicina, da qual foi diretor científico até 1973. 

Temos um vasto acervo sobre a bibliografia temática afro-brasileira, religião dos orixás, candomblé, nagô, yorubá, jejê, angola, minas, bantu, capoeira, etc..., saiba mais, pergunte-nos. Caso haja interesse em alguns dos nossos livros, ou em outro que não se encontre cadastrados ainda, pergunte-nos: ---- philolibrorum@yahoo.com.br ---- que conversaremos sobre como conseguir. PHILOLIBRORUM-BIBLIOAFRO cultura griot.

SILVIA HUNOLD LARA ESCRAVIDÃO REVISTA BRASILEIRA DE HISTÓRIA 16.

Silvia Hunold Lara  Org.   

ESCRAVIDÃO  - Número especial sobre o centenário
REVISTA BRASILEIRA DE HISTÓRIA 16.  

MARCO ZERO ANPUH   

ANO 1988  
PÁGINAS 290   
      
LIVRO EM BOM ESTADO DE CONSERVAÇÃO ENCADERNADO EM   BROCHURA ORIGINAL.

REVISTA BRASILEIRA DE HISTÓRIA 16. CEM ANOS DA ABOLIÇÃO 1888 - 1988,
NUMERO ESPECIAL ORGANIZADO POR SILVIA HUNOLD LARA, ILUSTRADO COM TABELAS, MAPA E FIGURA.

CAPA DE JORGE CASSOL COM ILUSTRAÇÕES TIRADAS DO LIVRO DE LOUIS E ELIZABETH AGASSIZ .

DIVERSOS AUTORES ESTUDIOSOS E IMPORTANTES ARTIGOS;

COM COLABORAÇÃO DE:

Eric Foner; Kátia Queirós Mattoso; João José Reis; Sidney Chaloub; Luiz Carlos Soares; Maria Helena P T Machado Horacio Gutierrez; Robert W Slenes; Robert Sweeny; Peter Linebaugh; Zita Paula Rosa; Eni Mesquita Samara...

O SIGNIFICADO DA LIBERDADE,
O FILHO DA ESCRAVA, 


MAGIA JEJÊ NA BAHIA: A INVASÃO DO TERREIRO CALUNDU DO PASTO DA CACHOEIRA, RECONCAVO BAIANO 1785, 

MEDO BRANCO DE ALMAS NEGRAS: ESCRAVOS, LIBERTOS E REPUBLICANOS NA CIDADE DO RIO, 

OS ESCRAVOS DE GANHO NO RIO DE JANEIRO DO SÉCULO XIX , 

EM TORNO DA AUTONOMIA ESCRAVA: UMA NOVA DIREÇÃO PARA A HISTÓRIA SOCIAL DA ESCRAVIDÃO, 

CRIOLOS E AFRICANOS NO PARANÁ 1798 - 1830, 

LARES NEGROS, OLHARES BRANCOS: HISTÓRIA DA FAMILIA ESCRAVA NO SÉCULO XIX,

OUTRAS CANÇÕES DE LIBERDADE: UMA CRÍTICA DE TODAS AS MONTANHA ATLANTICAS ESTREMECERAM, 

DOCUMENTAÇÃO DEVASSA CONTRA UM TERREIRO DE CALUNDU;

BIOGRAFIA DE UM EX-ESCRAVO.
 

FONTES ORAIS DE FAMÍLIAS NEGRAS;

OS TESTAMENTOS DE LIBERTOS COMO FONTE PARA ESCRAVIDÃO;

ESCASSO, NÃO PERCA, SAIBA MAIS.


Temos um vasto acervo sobre a bibliografia temática afro-brasileira, religião dos orixás, candomblé, nagô, yorubá, jejê, angola, minas, bantu, capoeira, etc..., saiba mais, pergunte-nos. Caso haja interesse em alguns dos nossos livros, ou em outro que não se encontre cadastrados ainda, pergunte-nos: ---- philolibrorum@yahoo.com.br ---- que conversaremos sobre como conseguir. PHILOLIBRORUM-BIBLIOAFRO cultura griot.

17 de julho de 2012

As nações de Ketu Agenor Miranda Rocha origens ritos e crenças Kêtu Brasil candomble bahia africa terreiro roça etc...


As nações de Ketu origens ritos e crenças.
Agenor Miranda Rocha
Maud
2004

Livro em bom estado de conservação, capa dura, com 231 páginas, ilustrações de Ogiyan, escasso, não perca, saiba mais ...

Apresentação de Antonio Olinto, prefácio de Muniz Sodré. Autoridade no assunto, o professor Agenor Miranda Rocha escreve um livro de referência, dedicado a crenças e tradições desde as origens dos candomblés do Rio de Janeiro

Antonio Olinto assim se refere ao Oluô: "Agenor Miranda Rocha - o oluwô por excelência de nossa gente, o dono do oráculo, o severo servidor do futuro, o senhor da nova Delfos, o amigo de Ifá, deus da adivinhação..."

Mestre Agenor é a maior autoridade do Candomblé no Brasil, legítimo descendente da Ialorixá Aninha Obá Bií, fundadora dos terreiros Axé Opô Afonjá de Salvador e do Rio de Janeiro.


O livro de Agenor Miranda Rocha, "As nações de Kêtu (origens, ritos e crenças)", narra a história das casas de Kêtu no Brasil, sua composição, sua importância, sua história, sua expansão.

Diga-se que há uma sabedoria que só a religião consegue captar e guardar. É a que se baseia na busca do autoconhecimento e na união, tão profunda quanto possível, entre cada ser humano e o universo circundante, habitado por múltiplas formas da natureza e por outros seres humanos, seus semelhantes.

O grude que junta ser com ser ganha, na religião, uma força inesperada, capaz de ligar, de religar, de tornar inconsúteis os tecidos de que as pessoas são feitas.

No começo era o verbo, mas também o espaço. Neste, tudo se movimenta ou se aquieta, se agita ou se abranda. Espaço tem de ser construído, trecho a trecho, pois nele tudo acontece. Depois da construção, há que haver à sagração. A sagração do espaço. Se a maioria das religiões repousa na palavra e na prédica, a dos iorubás - de Kêtu - se expande na dança....

Temos um vasto acervo sobre a bibliografia temática afro-brasileira, religião dos orixás, candomblé, nagô, yorubá, jejê, angola, minas, bantu, capoeira, etc..., saiba mais, pergunte-nos. Caso haja interesse em alguns dos nossos livros, ou em outro que não se encontre cadastrados ainda, pergunte-nos: ---- philolibrorum@yahoo.com.br ---- que conversaremos sobre como conseguir. PHILOLIBRORUM-BIBLIOAFRO cultura griot.

Irê Ayó: mitos afro-brasileiros Vanda Machado ; C. Petrovich

Vanda Machado ;  C. Petrovich

Irê Ayó: mitos afro-brasileiros.

Edufba,

2004.

bom estdo, brochura, 123 pgs, ilustrado, escasso, não perca, saiba mais..


A cultura afro-brasileira é um constante objeto de estudo para aqueles que pretendem compreender, de maneira mais aprofundada, a história de nosso país e a sua forte ligação com a cultura negra e o continente africano.

Permeando os fatos reais que compõe essa historia, existem lendas que mexem com o imaginário popular e despertam curiosidade."Irê Ayó" é um compilado de contos mitológicos da vertente afro-brasileira, grande parte protagonizada pelas divindades desta cultura: os orixás.

Nas primeiras páginas, o leitor mais leigo poderá se familiarizar com os termos mais utilizados numa espécie de prefácio auto-explicativo.

Dessa maneira, "Irê Ayó" torna-se um item indispensável, quer seja para os mais entendidos no assunto, como para aqueles que pretendem descobrir o mundo fantástico dos deuses e mitos africanos.

A tradição religiosa e cultural afro-brasileira apóia-se na oralidade. E os mitos são as estruturas e a rede de sustentação comunitária e espiritual de um povo (povo de santo). O trabalho com mitos, não é um trabalho isolado do processo de ensino aprendizagem. Considerando-os, deste modo, a tradição cultural vivenciada no terreiro, ou noutra comunidade de matriz africana, proporcionam aos seus participantes um apoio indispensável, também, para a sua vida como cidadão. O mito de Oxum na cosntrução do mundo, anuncia atitudes libertárias ensejando possibilidades de convivência e organização para uma vida.


Temos um vasto acervo sobre a bibliografia temática afro-brasileira, religião dos orixás, candomblé, nagô, yorubá, jejê, angola, minas, bantu, capoeira, etc..., saiba mais, pergunte-nos. Caso haja interesse em alguns dos nossos livros, ou em outro que não se encontre cadastrados ainda, pergunte-nos: ---- philolibrorum@yahoo.com.br ---- que conversaremos sobre como conseguir. PHILOLIBRORUM-BIBLIOAFRO cultura griot.

12 de julho de 2012

Memória D'’África: a Temática Africana em Sala de Aula Maurício Waldman e Carlos Serrano Cortez Memória D'’África: a Temática Africana em Sala de Aula Maurício Waldman e Carlos Serrano Cortez






Memória D'’África: a Temática Africana em Sala de Aula 

Maurício Waldman e Carlos Serrano 

Cortez 

com 320 págs, ilustrado, brochura original, escasso, saiba mais ...

O livro apresenta o continente africano mostrando questões históricas e antropológicas e os desdobramentos desses pontos nas questões da escravidão e do racismo.

Os autores fazem ainda o resgate geográfico, antropológico, histórico e sociológico da África, bem como de seus reflexos no Brasil e no restante do mundo. 

O livro coroa uma série de manifestações que reivindicam o resgate cultural e social das contribuições originárias da África. 

O texto está comprometido com as últimas posturas pedagógicas referentes ao ensino cenário no qual a escola desponta de modo privilegiado. 

Temos um vasto acervo sobre a bibliografia temática afro-brasileira, religião dos orixás, candomblé, nagô, yorubá, jejê, angola, minas, bantu, capoeira, etc..., saiba mais, pergunte-nos.

Caso haja interesse em alguns dos nossos livros, ou em outro que não se encontre cadastrados ainda, pergunte-nos:

----

philolibrorum@yahoo.com.br

---- que conversaremos sobre como conseguir. PHILOLIBRORUM-BIBLIOAFRO cultura griot.

11 de julho de 2012

Levando a Raça a Sério Ação Afirmativa e Universidade Joaze Bernardino e Daniela Galdino Orgs. editora: Dpa ano: 2004

Levando a Raça a Sério Ação Afirmativa e Universidade

Joaze Bernardino e Daniela Galdino Orgs.

editora: Dpa

ano: 2004

 Os estudos científicos decretaram o fim da raça enquanto categoria biológica, que determinava o comportamento moral, intelectual e cultural dos indivíduos. Porém, as descobertas do campo da biologia e da genética nem sempre efetuam uma mudança no comportamento social. 

O resultado disso é que a raça — inexistente do ponto de vista biológico — continua a atuar no plano social e político, sobretudo como uma categoria explicativa das desvantagens vividas pela população negra no Brasil. 

Neste livro, os autores esperam que a raça - como categoria sociológica - seja levada a sério tanto no processo de explicação das desigualdades quanto na formulação de políticas públicas adequadas a este fenômeno.

Lutar contra o racismo, o preconceito e a discriminação racial - que se materializam nos indicadores sociais de desigualdades - requer ações que conjuguem medidas punitivas, políticas de ação afirmativa e políticas de combate à pobreza.

Porém, antes de tudo, requer o empenho por parte do governo brasileiro e o desejo da sociedade brasileira como um todo de construir um país verdadeiramente democrático para todosas, onde a igualdade econômica possa estar combinada ao respeito à diferença.

Coleção Políticas da cor Laboratório de políticas públicas


Levando a raça a sério: ação afirmativa e correto reconhecimento
Joaze Bernardino

Negros em movimento: a construção da autonomia pela afirmação de direitos
Valter Roberto Silvério

Raça, gênero e ações afirmativas
Sueli Carneiro

O sistema classificatório de “cor ou raça” do IBGE
Rafael Guerreiro Osorio

O negro, seu acesso ao ensino superior e as ações afirmativas no Brasil
Delcele Mascarenhas Queiroz

Acesso à universidade: condições de produção de um discurso falacioso
Daniela Galdino; Larissa Santos Pereira

Experiências de ação afirmativa: interlocução com o ponto de vista da juventude negra
Alecsandro J.P. Ratts; Adriane A. Damascena

Inclusão social e igualdade racial no ensino superior baiano – uma experiência de ação afirmativa na Universidade do Estado da Bahia (Uneb)
Wilson Roberto de Mattos

Plano de metas para a integração social, étnica e racial na UnB – relato da comissão de implementação
Dione Oliveira Moura

Currículo e diversidade cultural na escola Grapiúna
Indaiara Célia da Silva

Estratégias pedagógicas e abordagem racial
Marly Silveira



Temos um vasto acervo sobre a bibliografia temática afro-brasileira, religião dos orixás, candomblé, nagô, yorubá, jejê, angola, minas, bantu, capoeira, etc..., saiba mais, pergunte-nos. Caso haja interesse em alguns dos nossos livros, ou em outro que não se encontre cadastrados ainda, pergunte-nos: ---- philolibrorum@yahoo.com.br ---- que conversaremos sobre como conseguir. PHILOLIBRORUM-BIBLIOAFRO cultura griot.