22 de junho de 2006

VOCÊ JÁ LEU EM YORUBÁ ?


AMARAL, Rita de Cássia.Povo-de-santo, povo-de-festa. O estilo de vida dos adeptos do candomblé paulista. São Paulo. FFLCH/USP. Dissertação de Mestrado,. 1992.

“O tombamento de um terreiro de candomblé em São Paulo”. en Comunicações do ISER, n. 41, ISER. Rio de Janeiro, 1991.

“O tempo de festa é sempre” en Travessia. Revista do Migrante São Paulo Centro de Estudos Migratórios - CEM, n. 15, janeiro/abril, 1993.

"A Morte do Pai-de-Santo. Implicações e dificuldades para a continuidade dos terreiros de candomblé" en Boletim da Associação Brasileira de Antropologia, n.22, março/94. Florianópolis, ABA, 1994.

“Candomblé” Texto e iconografia publicados no software Multimedia Esotérica CD-ROM. São Paulo, Ciclo Graphics Ltda./Editora Spiro, 1995.

“A festa de candomblé e sua relevância para o estudo do Candomblé e do estilo de vida do povo-de-santo” en Lima, Tânia (org.) Sincretismo Religioso - O ritual afro Recife, Fundação Joaquim Nabuco/Editora Massangana, 1996.

“Cidade em Festa. O povo-de-santo (e outros povos) comemora em São Paulo” en MAGNANI, J. G. Cantor e TORRES, Lilian De Lucca (orgs). Na Metrópole. Textos de Antropologia Urbana. São Paulo, EDUSP, 1996.

“Awon Xirê - A festa de candomblé com elemento estruturante da religião”. En MOURA, Carlos Eugênio Marcondes de (org.) Leopardo dos Olhos de Fogo. Atelier Editores, São Paulo, 1998.

AMARAL, Rita de Cássia & SILVA, Vagner Gonçalves da

“Cantar para subir - um estudo antropológico da música ritual no candomblé paulista”. en Religião e Sociedades, Rio de Janeiro, ISER, v. 16, n.1/2, 1992.

“A cor do axé - brancos e negros no candomblé de São Paulo”. En Estudos Afro-Asiáticos, Rio de Janeiro, CEAA, n. 25, dezembro, 1993.


“Símbolos da herança africana. Por que candomblé” en SCHWARCZ, Lilia M. e REIS, Letícia Vidor (orgs.), Negras Imagens. Ensaios sobre escravidão e cultura. EDUSP/Estação Ciência, 1996.


AUGRAS, Monique. O duplo e a metamorfose. Petrópolis, Vozes, 1983.

AZERDO, Fernando de. Brazilian Culture: An Introduction to the Study of the Culture in Brazil. New York, Hafmer Publishing Company, 1971.

BARMAN, Roderick J. Brazil: The Forging of a Nation, 1798-1852. Stanford: Stanford University Press, 1988.

BARRETTO, Maria Amália P. Os voduns do Maranhão. São Luís, FUNC, 1977.

BARROS, José Flávio P. de. O segredo das folhas - Sistema de classificação de vegetais no candomblé jêje-nagô do Brasil. Rio de Janeiro, Pallas/UERJ, 1993.

BASTIDE, Roger.
As religiões africanas no Brasil. Pioneira, São Paulo, 1985.
Estudos afro-brasileiros. São Paulo, Perspectiva, 1983.
O candomblé da Bahia. Rito Nagô. São Paulo, Nacional, 1978.

BINON-COSSARD, Giselle. Contribuition a l'etude des candomblés au Brésil: Le candomblé angola. Faculte des Letres et Sciences Humaines. Paris, 1971.

BIRMAN, Patrícia. Fazer estilo criando gêneros. Rio de Janeiro. UERJ/Relume Dumara, 1995.

BRAGA, Júlio.
Ancestralidade afro-brasileira. Salvador, CEAO/Ianamá, 1992.
Na gamela do feitiço: repressão e resistência nos candomblés. Salvador,
EDUFBA, 1995.
O jogo de búzios. Um estudo da adivinhação no candomblé. São Paulo. Brasiliense, 1988.

BRASIO, P. Antonio. "Monumenta Missionaria Afiicana (Africa Occidental)", 2da serie, 11, 1500-1569, doc. 37, n. 122, En CARRERA, Antonio. Cabo Verde Formaçâo e extinçâo de uma sociedade escravocrata, 1460-1878. Centro de Estudios de Guiné Portuguesa, 1972.

BROWN, Diana. Umbanda - Politics of an Urban Religious Moviment. Columbia University. PhD Thesis. Departament of Anthropology, 1977.

CAMARGO, Cândido Procópio de. Kardecismo e Umbanda. São Paulo, Pioneira, 1961.

CARNEIRO, Édison.
Candomblés da Bahia. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1978.
Ladinos e crioulos. Rio de Janeiro. Civilização Brasileira, 1964.
Religiões negras, negros bantos. Rio de Janeiro. Civilização Brasileira. 1981.

CARVALHO, José Jorge de. Ritual and music of the Sango cults of Recife, Brasil. Anthropology, PhD Thesis, Belfast, The Queen's University, (mimeo), 1984.
CORRÊA, Norton. O batuque do Rio Grande do Sul. Porto Alegre. Ed. UFRGS. 1992.
DAMATTA, Roberto. Carnavais, malandros e heróis. Rio de Janeiro, Zahar. 1983.
DANTAS, Beatriz Góis. Vovó nagô e papai branco. Rio de Janeiro. Graal, 1988.
EDUARDO, Octávio da Costa. The negro in Northern Brazil, A study in acculturation. J.J. Augustin Publisher, New York, 1948.
FERNANDES, Gonçalves. Xangôs do Nordeste. Rio de Janeiro. Civilização Brasileira, 1937.
FERNANDES, Rubem Cesar. “Religiões populares: uma visão parcial da literatura recente”. En Boletim informativo e bibliográfico de ciências sociais (BIB), Rio de Janeiro, n.18, 1984.
FERREIRA, Almiro Miguel. “Candomblé-de-caboclo”. In: Encontro de nações de candomblé. Salvador, Ianamá/CEAO/UFBA,1984.
FERRETTI, Mundicarmo. Desceu na guma: O caboclo do tambor de mina no processo de mudança de um terreiro de São Luís. a Casa de Fanti-Ashanti. São Luís. SIOGE. 1993.
FERRETTI, Sérgio.
Querebentam de Zomadonu. Etnografia da Casa das Minas. São Luís, Edufma, 1986.
Repensando o sincretismo. Estudo sobre a Casa das Minas. São Paulo, EDUSP/FAPEMA, 1995.
FREIRE, Gilberto (org.). Novos estudos afro-brasileiros. Trabalhos apresentados ao I Congresso Afro-Brasileiro. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1937.
FRY, Peter. Para inglês ver. Rio de Janeiro, Zahar, 1982.
HERSKOVITS, Melville. “Pesquisas etnológicas na Bahia”. En Afro-Ásia, n.4-5, 1967.
Karasch, Mary C. Slave Life in Rio de Janeiro, 1808-1850. New Jersey: Princeton University Press, 1987.
KREBS, Carlos Galvão. Estudos de Batuque. Porto Alegre, IGTF, 1988.
LANDES, Ruth. A Cidade das mulheres. Rio de Janeiro. Civilização Brasileira.1967.
LEVINE, Robert M. Brazilian Legacies. New York: M.E. Sharp, Inc. 1997.
LIMA, Tânia (org.). Anais do IV Congresso Afro-Brasileiro. (v. 4 - O Sincretismo Religioso). Recife, Fundaj, Ed. Massangana, 1996.
LIMA, Vivaldo da Costa.
A família-de-santo dos candomblés jeje-nagôs da Bahia: um estudo de relações intra-grupais. Salvador. Pós-Graduação em Ciências Humanas da UFBA. 1977.
“Nações-de-candomblé”. En Encontro de nações de candomblé. Salvador, Ianamá/CEAO/UFBA,1984.
“Os obás de Xangô”. En MOURA, Carlos E. M. de (org.) Olóòrìsá. São Paulo, Ágora, 1981.
MAGGIE, Yvonne. Medo de feitiço: Relações entre magia e poder no Brasil. Rio de Janeiro, Arquivo Nacional, 1992.
MATTOSO, Katia M. de Queiros. To be a Slave in Brazil, 1550-1888. New Jersey: Rutgers University Press, 1986.
MOTA, Carlos Guilherme. Ideologia da Cultura brasileira, São Paulo, Ática, 1977.
MOTTA, Roberto.
Edjé balé. Aspectos do sacrifício no xangô de Pernambuco. Recife, (mimeo), 1991.
Meat and feast: The xango religion of Recife, Brazil. PhD Columbia University, 1988.
Os afro-brasileiros. Anais do III Congresso Afro-Brasileiro. Recife, Ed. Massangana, 1985.
MOURA, Roberto. Tia Ciata e a Pequena África do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, MEC/FUNARTE, 1983.
NASCIMENTO, Abdias de and Elisa Larkin. Africans in Brazil: A Pan-African Perspective. New Jersey: Africa World Press, 1992.
NEGRÃO, Lísias Nogueira. Entre a cruz e a encruzilhada. São Paulo, EDUSP, 1996.
OLIVEIRA, Waldir Freitas & LIMA, Vivaldo da Costa. Cartas de Édison Carneiro a Artur Ramos. São Paulo, Corrupio, 1987.
ORO, Ari Pedro (org.). As religiões afro-brasileiras do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Ed Universidade/UFRGS, 1994.
ORTIZ, Renato.
A morte branca do feiticeiro negro. Rio de Janeiro, Vozes, 1978.
A consciência fragmentada. Ensaios de cultura popular e religião. São Paulo, Paz e Terra, 1977.
Cultura brasileira e identidade nacional. São Paulo, Brasiliense, 1986.
PEREIRA, Nunes. A Casa das Minas. Rio de Janeiro, Vozes, 1979.
PIERSON, Donald. Negroes in Brazil. Southern Illinois University Press, 1967.
PRANDI, Reginaldo. Os candomblés de São Paulo. São Paulo, Hucitec/EDUSP, 1991.
PRANDI, Reginaldo & SILVA, Vagner Gonçalves da.
“Axé São Paulo”. En
MOURA, Carlos E. M. (org.). Meu sinal está em teu corpo. São Paulo, EDICON/EDUSP, 1989.
“Deuses Tribais em São Paulo”. En Ciência Hoje, SBPC, v.10. n.57. 1989.
PRICE, Richard. First-Time. The historical vision of an afro-american people. Baltimore, Johns Hopkins University Press, 1983.
QUEIROS MATI-OSOS, Katia M. de. Etre esclave au BrésiL XvIe-XIXe siécles. Paris: Hachette, 1979.
QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. “Nostalgia do outro e do alhures”. En Roger Bastide. Coleção grandes cientistas sociais. São Paulo, Ática. 1983.
RAMOS, Artur.
As culturas negras no Novo Mundo. São Paulo, Ed. Nacional, [1935], 1979.
O negro brasileiro. São Paulo. Ed. Nacional, [1934],1940.
REIS, João José. Slave Rebellion in Brazil. The Muslim Uprising of 1835 in Bahia. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 1993.
REIS, Letícia Vidor. Negros e brancos no jogo de capoeira: A reinvenção da tradição. São Paulo. FFLCH/ USP. Dissertação de Mestrado. 1993.
RIBEIRO, René.
Cultos afrobrasileiros do Recife. Um Estudo de Ajustamento Social. Recife, Boletim do Instituto Joaquim Nabuco, 1952.
"Relations of the Negro with christianity in the Portuguese America", en The Americas 14, 1958, pp. 454-484.
RODRIGUES, Raimundo Nina.
O animismo fetichista dos negros bahianos. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1935.
Os africanos no Brasil. São Paulo, Ed. Nacional. [1933], 1977.
RUIZ-PEINADO ALONSO, José Luis. Cimarrones en Brasil. Mocamos del Trombetas. Reproexpress, Valencia, 2002.
SANTANA, Esmeraldo Emetério. “Nação-angola”. En Encontro de nações de candomblé. Salvador, Ianamá/CEAO/UFBA, 1984
SANTOS, Deoscóredes dos (Mestre Didi). História de um terreiro nagô. São Paulo, Max Limonad, 1988.
SANTOS, Jocélio Teles dos. O dono da terra. O caboclo nos candomblés da Bahia. Salvador, SarahLetras, 1995.
SANTOS, Juana Elbein dos. Os Nagô e a morte. Rio de Janeiro, Vozes, 1977.
SANTOS, Maria Stella de Azevedo. Meu tempo é agora. Curitiba, CENTRHU,1995
SCHWARTZ, Stuart B.
Resistance and Accommodation in Eighteenth-Century Brazil. Hispanic American Historical Review 57:69-81. 1977.
Slaves, Peasants, and Rebels: Reconsidering Brazilian Slavery. Urbana: University of Illinois Press, 1992.
SEGATO, Rita Laura. Santos e daimones. Brasília, UnB, 1995.
SILVA, Vagner Gonçalves da.
Candomblé e umbanda: Caminhos da devoção brasileira. São Paulo, Ática, 1994.
Orixás da metrópole. Petrópolis, Vozes, 1995.
O antropólogo e sua magia. Trabalho de campo e texto etnográfico nas pesquisas antropológicas sobre as religiões afro-brasileiras. São Paulo, FFLCH/USP, Tese de Doutoramento, (mimeo), 1998.
“A crítica antropológica pós-moderna e a construção textual da etnografia religiosa afro-brasileira”. En Cadernos de Campo, São Paulo. Departamento de Antropologia da USP, ano 1, n.1, 1992
“O Candomblé em São Paulo e a sacralização do espaço urbano”. En Travessia, Revista do Migrante, São Paulo, Centro Estudos Migratórios, n.15, janeiro/abril, 1993.
“O terreiro e a cidade nas etnografias afro-brasileiras”. En Revista de Antropologia, FFLCH/USP, n.36, 1993
“O candomblé no Brasil - a tradição oral diante do saber escrito”. En Studia Africana, Publicação del Centre D'Studis Africans, Barcelona, n.4, març., 1993.
“As esquinas sagradas. O candomblé e o uso religioso da cidade”. In: MAGNANI, José Guilherme Cantor e TORRES, Lilian de Lucca (org.) - Na Metrópole. Textos de antropologia urbana. São Paulo, EDUSP, 1996.
TINHORÃO, José Ramos. Os sons dos negros no Brasil. São Paulo, Art Editora, 1988.
Toplin, Robert. The Abolition of Slavery in Brazil. New York: Simon and Schuster Trade, 1972.
TURNER, J. Michael. “Manipulação da religião: o exemplo afro-brasileiro”. En Cultura, Brasília, MEC, 6 (23), 1976.
VVAA. Estudos afro-brasileiros. Trabalhos Apresentados no 1 Congresso Afro-Brasileiro (Recife, 1934). Recife, Fundação Joaquim Nabuco/ Ed. Massangana, [1935],v.1, 1988.
VVAA. O negro no Brasil. Trabalhos Apresentados no II Congresso Afro-Brasileiro (Bahia, 1937). Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1940.
VELHO, Yvonne Maggie. Guerra de orixá. Rio de Janeiro, Zahar, 1975.
VOGT, Carlos & FRY, Peter. Cafundó. A África no Brasil. São Paulo, Companhia das Letras, 1996.

Um comentário:

2008 disse...

?